Por que escrever sobre o fim do mundo?

Fim?

Ou

Sobre o fim.

Diante de tantas tragédias e acontecimentos catastróficos que acabam fazendo parte de nosso cotidiano, muitos se perguntam se um dia tudo isso terá fim. Outros até têm uma certa necessidade de saber o dia e hora exata em que tudo irá pelos ares.

Previsões apocalíticas deram e darão conta de alimentar essa estranha curiosidade pelo fim. Fim do mundo, fim da vida, fim de recursos naturais, fim da guerra, fim da tristeza, fim da agonia, fim da estupidez humana, fins gloriosos, fins demoníacos, fim de tudo.

Este blog tratará de assuntos que vão muito além de todos estes fins e questiona se nós estamos realmente preparados para suportar e entender que tudo nessa vida se acaba. Será que temos a nossa parcela de culpa? Ou somos totalmente culpados? Será que existe um culpado? Será que existe mesmo um fim?

Maias, astecas, índios, profetas, loucos, cientistas e até pessoas como nós tentam (tentarão) dizer como será o fim de nosso querido planetinha. Até agora, a maioria estava equivocada ou estavam equivocados quem interpretou a tal da profecia. Talvez uma parte do mundo tenha realmente acabado no dia 21 de dezembro de 2012. Uma parte silenciosa do mundo.

Pode ser que a gente ainda não consiga entender a relevância desse suposto fim para a humanidade. Ainda. Pode ser que um dia faça sentido mas, até lá, vamos nos divertindo, nos alarmando, nos preparando para que os possíveis fins não cheguem até nós.

Texto de Maressa Nunes, monitora da disciplina Webjornalismo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: