Cronologia do desequilíbrio psicológico no futebol

Por Caroline Gomes e Hiago Maia

Ao longo dos anos, diversas situações demonstram as dimensões da influência psicológica na atuação dos atletas. No futebol essa influência parece ser ainda mais evidente, como mostramos de forma cronológica alguns exemplos na linha do tempo abaixo:

2006 – No final da Copa do Mundo de 2006, o jogador da França Zinédine acertou uma cabeçada no peito do jogador italiano

Sem que houvesse disputa pela bola, o capitão francês acerta uma cabeçada no peito de jogador italiano e é expulso de campo: o triste lance final de uma das mais brilhantes carreiras da história do futebol.

2008 – Pelo Campeonato Mineiro, o jogador Danilinho do Atlético-MG, se desentende com o atacante Guilherme do Cruzeiro

Houve uma troca de insultos entre os atacantes dos dois times, que se estranhara

m e ao longo do jogo, aproveitavam os lances para “bater” um no outro. Até que quase chegando ao fim do jogo, os dois discutiram e foram expulsos. Ao ouvir insultos vindos da torcida adversária, o atacante alvinegro não conteve o choro.

2010 – Neymar não gosta de ser vetado em cobrança de pênalti e briga com o técnico Dorival Júnior

Em 15 de setembro de 2010, durante a vitória do Santos por 4 a 2 sobre o Atlético-GO, na Vila Belmiro, Neymar foi proibido de cobrar um pênalti pelo seu técnico na época, Dorival Júnior. Inconformado, o atacante discutiu com o treinador e o capitão Edu Dracena.

2011 – Kleber briga com atletas do Flamengo após tentar ‘malandragem’

O atacante Kleber arrumou confusão com os jogadores do Flamengo, justamente o time que tentava contratá-lo. O atacante se aproveitou de uma bola ao chão para armar um perigoso ataque para o Palmeiras e irritou os adversários, que acusaram o jogador de falta de fair play.

Jogador do Vitória-BA chuta árbitro durante partida da série B do Campeonato Brasileiro 

Rildo avança com a bola pela intermediária, cai, pede a falta e segura a bola com a mão. O árbitro não se deixa influenciar pelo jogador e marca falta para o Boa Esporte. Revoltado, Rildo levanta e arremessa a bola no árbitro Cláudio Francisco Lima e Silva. Prontamente, o atacante do Vitória é advertido com o cartão amarelo e reclama duramente até ser expulso. Não satisfeito, Rildo tenta agredir o árbitro com um chute e ganha cartão vermelho.

2012 – O técnico Mano Menezes fica irritado com a atuação da seleção brasileira em campo e grita com os jogadores

Em um jogo da seleção brasileira, pelas Olimpíadas de Londres, em 2012, o técnico Mano Menezes perdeu a paciência com os jogadores e visivelmente irritado, gritou na beira do campo.

Jogador agride outro com barra de ferro em jogo no Pará

A violência marcou um jogo do Campeonato Paraense em Marabá. A partida entre o Águia, time da cidade, e o Remo, da capital Belém, era a segunda da semifinal do primeiro turno e acabou manchada pela agressão do volante Alexandre Carioca, do Águia, ao lateral-esquerdo Aldivan, do Remo. Alexandre usou uma barra de ferro para atingir o companheiro de profissão. O detalhe é que o agressor estava no banco de reservas e se meteu em uma discussão que começou entre o goleiro Alan, do Águia, e o meia Betinho, do Remo.

 Confira nossa reportagem: Atletas-problena: acaso ou personalidade?

Anúncios

Um Comentário

  1. Pingback: O lado “psicólogo” de um treinador | Antes do fim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: